Dia das mulheres

Se é pra comemorar, que seja por tudo o que somos, superamos, criamos e manifestamos.

Enquanto todo mundo nos cumprimenta porque “somos mulheres”, vamos além?

Vamos pensar o que ser mulher significou na nossa jornada e porque tivemos que ser muito mais tudo por sermos mulheres.

Vamos lembrar que a gente já sai um pouco atrás na corrida?

Vamos lembrar que empreendedoras incluem (querendo ou não) seus filhos e rotina doméstica no plano de negócios? (sério, nunca vi um homem fazendo isso – pelo menos não no grau que as mulheres fazem naturalmente).

Vamos lembrar que saímos na rua com medo de muitas coisas – e assalto normalmente não é a primeira?

Vamos lembrar que muuuuuuitas (me incluo mesmo quando não quero) saímos pra rua pensando se o que escolhemos vestir está adequado? (seja lá o que isso for ou signifique nas diversas situações que somos cobradas pela nossa aparência).

Vamos lembrar que uma mulher solteira é o repositório familiar de todas as pessoas com algum problema? (afinal, ela não tem filhos, né? Então dá pra cuidar do irmão, dos pais, da avó,…).

E, finalmente, os privilegiados nunca entendem. Eles são míopes por conta da situação em que vivem. Simples assim.

Opressões se resolvem com postura e atitude.

Traga as pessoas para o seu lado simplesmente porque é onde VOCÊ está.

Não peça autorização para ocupar o seu espaço. ELE JÁ É SEU.

 

Amadas, todos os dias são nossos, porque são uma conquista.

 

E.T.: nem vou discutir a questão do “da porra”. Ele foi postado porque contem uma ironia sutil que entendedoras entenderão. (Dica: tudo que é referência masculina torna algo muito melhor).

Elisa Rodrigues Autor

Buscadora. Inquieta. Sonhadora. Rabugenta (às vezes). Cheia de ideias. Principalmente, alguém que exercita diariamente um olhar de encantamento para beleza do mundo. Veja mais sobre o meu trabalho terapêutico em www.elisarodrigues.com.br