Educação vem da aldeia

Este texto foi publicado originalmente no jornal “Tablóide de Vargem Grande Paulista”

 

Há um ditado africano que diz que é preciso uma aldeia inteira para educar uma criança. Porque somos todos professores – e devemos nos lembrar disso. Aliás, somos professores uns dos outros, porque vivemos aprendendo com as nossas relações e conexões.

A forma como nos posicionamos em uma situação pode ensinar a todos que nos cercam – bem ou mal. O que falamos pode influenciar a todos que ouvem – bem ou mal. Se dividimos nosso conhecimento, se defendemos os nossos valores, se trabalhamos em nossos sonhos… e por aí vai.

Podemos assumir o compromisso de sermos professores conscientes do nosso entorno. Porque já deixamos marcas, crenças, lições de qualquer forma, mas nem sempre com a melhor qualidade. Perceber que somos o espelho de muitas pessoas ao nosso redor pode ser uma grande lição de senso de comunidade – afinal já dizia Gandhi que nós devemos ser a mudança que queremos ver no mundo.

Disponibilizar nossos saberes, qualidades, aprendizados, abraços, sorrisos, empatia e fé em um mundo melhor. Mostrar às crianças o mundo que você gostaria de ter conhecido na sua infância. Oferecer ao adulto a mão que você gostaria de ter encontrado na sua dificuldade. Indicar ao aprendiz a lição que você queria ter recebido na sua dúvida.

Já pensou que a sua aldeia pode ser o seu reflexo?

Qual é o tipo de conteúdo que você tem ensinado diariamente nela?