Educação vem da aldeia

Este texto foi publicado originalmente no jornal “Tablóide de Vargem Grande Paulista”

 

Há um ditado africano que diz que é preciso uma aldeia inteira para educar uma criança. Porque somos todos professores – e devemos nos lembrar disso. Aliás, somos professores uns dos outros, porque vivemos aprendendo com as nossas relações e conexões.

A forma como nos posicionamos em uma situação pode ensinar a todos que nos cercam – bem ou mal. O que falamos pode influenciar a todos que ouvem – bem ou mal. Se dividimos nosso conhecimento, se defendemos os nossos valores, se trabalhamos em nossos sonhos… e por aí vai.

Podemos assumir o compromisso de sermos professores conscientes do nosso entorno. Porque já deixamos marcas, crenças, lições de qualquer forma, mas nem sempre com a melhor qualidade. Perceber que somos o espelho de muitas pessoas ao nosso redor pode ser uma grande lição de senso de comunidade – afinal já dizia Gandhi que nós devemos ser a mudança que queremos ver no mundo.

Disponibilizar nossos saberes, qualidades, aprendizados, abraços, sorrisos, empatia e fé em um mundo melhor. Mostrar às crianças o mundo que você gostaria de ter conhecido na sua infância. Oferecer ao adulto a mão que você gostaria de ter encontrado na sua dificuldade. Indicar ao aprendiz a lição que você queria ter recebido na sua dúvida.

Já pensou que a sua aldeia pode ser o seu reflexo?

Qual é o tipo de conteúdo que você tem ensinado diariamente nela?

Elisa Rodrigues Autor

Buscadora. Inquieta. Sonhadora. Rabugenta (às vezes). Cheia de ideias. Principalmente, alguém que exercita diariamente um olhar de encantamento para beleza do mundo. Veja mais sobre o meu trabalho terapêutico em www.elisarodrigues.com.br