Mais um fim

Este texto foi publicado originalmente no jornal “Tablóide de Vargem Grande Paulista”

 

Vivemos uma cultura que não sabe lidar com fins, seja de relacionamentos, de empregos, de ciclos ou de vidas. A cada fim de ano temos um exemplo claro disso. Começamos a ouvir expressões de desgosto, impotência e ansiedade. “Caramba, não consegui fazer nada da minha lista de réveillon.” “Nossa, o ano passou e nem percebi.”

Não sabemos viver o presente nem intencionar o futuro. Desperdiçamos nosso dia como se o tempo fosse interminável. Começamos janeiro olhando para o ano como se houvesse tempo para tudo, mas chegamos a novembro sem termos posto em prática nada do que queríamos.

Minha proposta para este fim de ano é que olhemos para o fim deste ano com o olhar pleno de encerramento. Encerra-se este ano. Encerra-se este ciclo.

Deixamos para trás tudo o que nos incomodou, magoou, nos atrapalhou. Olhamos para cada incidente difícil com olhar de despedida, entendendo e agradecendo a lição aprendida. Olhamos para cada bênção com olhar de encantamento, guardando no coração a energia recebida.

Finalmente, de posse dessa sensação de fim, vislumbramos 2018 com o olhar limpo e atento para as possibilidades, sonhos, metas e projetos. Programamos nossos passos e criamos nossas estratégias para que realmente haja a manifestação de um novo ano.

Que assim seja e assim se faça!

 

 

 

P.S.: Se você quer ajuda, no dia 17/12 vou fazer a palestra “Adeus Ano Velho”, onde vamos aprender estratégias para liberar nossas mágoas e dificuldades e nos abrir para o novo ano que virá! Veja no meu calendário de eventos.

 

Elisa Rodrigues Autor

Buscadora. Inquieta. Sonhadora. Rabugenta (às vezes). Cheia de ideias. Principalmente, alguém que exercita diariamente um olhar de encantamento para beleza do mundo. Veja mais sobre o meu trabalho terapêutico em www.elisarodrigues.com.br