Ninguém muda ninguém

Hoje vamos falar sobre a percepção de seu lugar em uma relação.
Continuamente converso com pessoas, inclusive em atendimento, que estão esgotadas pela tentativa de “salvar alguém” ou de “manter as coisas no lugar”.
Primeiramente, há de se tomar consciência da nossa falta de respeito com o outro quando tentamos impor-lhe uma forma de ser ou de agir, pois ao crermos que ele precisa de “ajuda” estamos sutilmente dizendo que sabemos mais da vida dele do que ele mesmo.

Segundo, muitas vezes estamos deixando nosso caminho de lado para fazer algo pelo outro – e isso tem graves consequências. Só podemos fazer nossa parte no mundo se nós nos concentrarmos na NOSSA VIDA (porque dá um trabalhão seguir o caminho de verdade e, na boa, não sobra tanta energia assim pra cuidar da vida dos outros). Terceiro e mais importante: as pessoas têm o direito de serem como quiserem – e arcarem com as consequências disso (veja bem, não estou fazendo apologia a qualquer comportamento inadequado e/ou criminoso, mas para eles existem leis e códigos sociais).
De verdade, elas só mudarão quando quiserem (por bons ou maus motivos). Só que você tem o direito de não querer conviver com isso.
Então, em vez de tentar mudar alguém, repense sua presença ou a quantidade de energia que entrega a essa pessoa.

Dê o direito das pessoas de serem como são – e a você também.

❤🙏
Elisa Rodrigues

Elisa Rodrigues Autor

Buscadora. Inquieta. Sonhadora. Rabugenta (às vezes). Cheia de ideias. No mundo externo, sou terapeuta e facilitadora. No interno, sou uma exploradora da beleza do caminho. Veja mais sobre o meu trabalho terapêutico em www.elisarodrigues.com.br