[Série Emoções] Acolhendo nossas emoções

Este texto foi publicado originalmente no jornal “Tablóide de Vargem Grande Paulista”

 

Apesar de sermos latinos e conhecidos pelo alto teor emocional de nossa fala e gestos, às vezes temos uma visão negativa das emoções como algo que nos “rouba” do nosso centro e que pode por muita coisa a perder. Com isso em mente, costumamos tentar controlar e até mesmo anular muitas emoções, tratando-as como visitantes indesejados. Mas quanto mais tentamos controlar ou anular nossas emoções temos a impressão que elas nos perturbam mais e mais fortes ficam. Por que será?

Porque emoções não foram feitas para serem jogadas embaixo do tapete. Elas são sinais poderosos do nosso mundo interno sobre coisas que estão acontecendo (dores, traumas, crenças, sonhos…) e que muitas vezes só damos atenção depois que perdemos o nosso controle.

Para falarmos mais sobre as emoções, porque temos que entendê-las e acolhê-las, vamos fazer uma série de textos aqui nesta coluna. Vamos discutir as mensagens das emoções, como aproveitá-las e como acolhermos as dificuldades que surgem quando elas aparecem.

Então, começo esta série pedindo que você faça uma lista das emoções que são mais presentes na sua vida e todas as vantagens e desvantagens que elas trazem consigo. Tenho certeza que você se surpreenderá com a quantidade de vezes que as emoções trouxeram uma dose extra de algum recurso (energia, força, determinação, paciência, atenção…) que foi fundamental para resolver uma situação ou apoiar um projeto ou sonho.

Elisa Rodrigues Autor

Buscadora. Inquieta. Sonhadora. Rabugenta (às vezes). Cheia de ideias. Principalmente, alguém que exercita diariamente um olhar de encantamento para beleza do mundo. Veja mais sobre o meu trabalho terapêutico em www.elisarodrigues.com.br