Vivendo pela metade

Imagem: Fonte desconhecida

Quantas coisas, pessoas e situações desejamos pelo simples fato de desejar? Simplesmente porque somos constantemente estimulados a ter cada vez mais, a já ter em mente a próxima meta antes mesmo de ter alcançado a mais recente linha de chegada.

Consequentemente, cuidamos pela metade…

curtimos pela metade…

celebramos pela metade…

nos comprometemos pela metade…

nos alegramos pela metade…

talvez até amemos pela metade.

Criamos um círculo vicioso e infinito de escassez e insatisfação, porque não conseguimos olhar amplamente para nossas vidas e nos dar conta do muito que já temos e que pede nosso cuidado e atenção.

Elisa Rodrigues Autor

Buscadora. Inquieta. Sonhadora. Rabugenta (às vezes). Cheia de ideias. No mundo externo, sou terapeuta e facilitadora. No interno, sou uma exploradora da beleza do caminho. Veja mais sobre o meu trabalho terapêutico em www.elisarodrigues.com.br